segunda-feira, 23 de julho de 2012

"A Criação, de Haydn" - Poema de Jorge de Sena






A CRIAÇÃO, DE HAYDN


Felizes estes homens que podiam escrever da Criação,
confiadamente compor - por mais dores que sofressem
enquanto humanos e como seres viventes -
tão jubilantes cânticos do criar do Mundo.


Era belo, era bom, era perfeito o Mundo.
É certo que o cantavam quando apenas criado,
e o par humano pisava sem pecado
o jardim paradisíaco.


Nós nem mesmo em momentos únicos,
raríssimos, epifânicos
- e não só por não crermos no pecado -,
não podemos.


Jorge de Sena
Londres, 8/3/1973



Joseph Haydn - A Criação

Depois de escutar os oratórios de Handel em Londres, Haydn sentiu-se inspirado a escrever uma obra Bíblica de grande escala. Baseado no livro do Gênesis, o oratório "A Criação" de Joseph Haydn teve sucesso imediato e veio a ser a obra mais executada desse grande compositor. A história é contada por três Arcanjos: Raphael, Uriel e Gabriel, e esse belíssimo trio convida toda a criação a louvar o Criador no coro "Der herr ist gross in seiner macht" Grande é o Senhor a sua glória não tem fim.

Barbara Bonney (Gabriel)
Kurt Azesberger (Uriel)
Robert Hale (Raphael)
Orquestra Simfônica e Coro del Gran Teatre del Liceu
Diretor da orquesta: Bertrand de Billy



Franz Joseph Haydn


Franz Joseph Haydn
(Rohrau, 31 de março de 1732 — Viena, 31 de maio de 1809) foi um dos mais importantes compositores do período clássico. Personifica o chamado "classicismo vienense" ao lado de Wolfgang Amadeus Mozart e Ludwig van Beethoven. A posteridade apelidou este grupo como "Trindade Vienense". Para além disso é considerado como um dos autores mais importantes e influentes da história da música erudita ocidental com uma carreira que cobriu desde o fim do Barroco aos inícios do Romantismo. Ele é à vez a ponte e o motor que permitiram a que esta evolução sucedesse.

Era irmão do igualmente compositor Michael Haydn, colega de Mozart em Salzburgo, e do tenor Johann Evangelist Haydn, que mais tarde Joseph fará vir para Eszterhaza em 1763. Tendo vivido a maior parte da sua vida na Áustria, Haydn passou a maior parte de sua carreira como músico de corte para a rica família dos Eszterházy. Isolado de outros compositores, foi, segundo ele próprio, “forçado a ser original”. O seu génio foi amplamente reconhecido durante a sua vida.

Haydn era conhecido entre seus contemporâneos pela sua personalidade tranquila e otimista. Tinha um apurado senso de humor, que pode ser apreciado em alguma da sua música: na Sinfonia nº 45 em fá sustenido menor, chamada A Despedida, fez com que os músicos fossem parando de tocar um de cada vez, fechassem a partitura e saíssem da sala, até que só sobrassem dois únicos executantes no final, como forma de mostrar ao príncipe que eles faziam jus a um tratamento mais condigno, visto que eram considerados meros serviçais do palácio. O príncipe, que era perspicaz, entendeu a mensagem passando a dar melhor atenção aos músicos de sua orquestra. Em alguns casos, ele introduzia uma nota forte súbita, para evitar que os espectadores dormissem durante a execução. Era particularmente respeitado pelos músicos da corte que ele supervisionou, assim como os tratava cordialmente e representava efetivamente os interesses dos músicos para o empregador. Haydn também tinha uma fé católica fervorosa. Sempre que terminava uma composição, escrevia as palavras “Laudate Deo” (“Glória a Deus”), ou alguma expressão parecida no fim do manuscrito. Suas diversões preferidas eram a caça e a pesca.

Haydn é considerado o pai da sinfonia clássica e do quarteto de cordas, além de ter escrito muitas sonatas para piano, trios, divertimentos e missas, que se tornou a base do estilo clássico de composição de música erudita. Além disso, escreveu também algumas músicas de câmara, óperas e concertos, que hoje não são tão conhecidos. Haydn foi o maior influenciador do estilo da época.

O desenvolvimento da forma-sonata de um esquema rígido em uma maneira sutil e flexível de expressão musical, que se tornou dominante no pensamento musical clássico, é devido quase que completamente a Haydn. Ele também criou a forma sonata, a forma de variação dupla, e foi também o primeiro a integrar a fuga e outros modelos contrapontísticos à forma clássica.

Haydn era de baixa estatura e não tinha o padrão de beleza dominante na época e, ficava surpreso quando as mulheres o seguiam durante as visitas a Londres. Cada um dos vários artistas que pintaram a face de Haydn durante sua vida tentou deixar transparecer sua personalidade agradável, apesar de não se enquadrar naquele padrão de beleza.

Haydn faleceu em casa no ano de 1809, aos 77 anos, durante um violento bombardeio nas vésperas da tomada de Viena pelo exército de Napoleão Bonaparte.


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...