domingo, 5 de agosto de 2012

"Soneto de mal amar" - Poema de Ary dos Santos


Ferdinand Minor (German, 1814-1883) 



Soneto de mal amar 


Invento-te recordo-te distorço 
a tua imagem mal e bem amada 
sou apenas a forja em que me forço 
a fazer das palavras tudo ou nada. 

A palavra desejo incendiada 
lambendo a trave mestra do teu corpo 
a palavra ciúme atormentada 
a provar-me que ainda não estou morto. 

E as coisas que eu não disse? Que não digo: 
Meu terraço de ausência meu castigo 
meu pântano de rosas afogadas. 

Por ti me reconheço e contradigo 
chão das palavras mágoa joio e trigo 
apenas por ternura levedadas. 


Ary dos Santos,
in 'O Sangue das Palavras'



Ferdinand Minor – The Italian Beauty


Ferdinand Minor


 Ferdinand Minor



"O humor nos permite ver, através do que parece ra­cional, o irracional; o humor reforça, além disso, nosso instinto de conservação e preserva nossa saúde de es­pírito. Graças ao humor, as vicissitudes da existência tornam-se menos difíceis de levar: ele desenvolve nos­so sentido de proporção e nos revela que o absurdo ronda sempre a gravidade exagerada."

(Charlie Chaplin)




Tchaikovsky: The Nutcracker (complete)


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...