sábado, 27 de outubro de 2012

"Timidez" - Poema de Maria Alberta Menéres


Tullia Masinari - Jogar às escondidas na rua



TIMIDEZ 


O bicho-de-conta 
Faz de conta, faz 
Que é cabeça tonta 
Mas lá bem no fundo 
Não é mau rapaz. 

Se a gente lhe toca, 
Logo se disfarça: 
Veste-se de bola. 
Por mais que se faça 
Não se desenrola. 

Lá dentro escondendo 
Patinhas e rosto 
É todo um segredo: 
Se eu fosse menino 
Comigo brincava 
Sem medo, sem medo. 


Maria Alberta Menéres, 
Conversas com Versos, 2005





A editora Asa publicou com regularidade, a obra completa de Maria Alberta Menéres, quer em prosa, quer em verso, dedicado às crianças. A poetisa, que é figura de destaque da chamada geração de 50, havendo, até, colaborado nas folhas de poesia Távola Redonda, tem composto, como os seus pares Matilde Rosa Araújo, Fernando de Paços, Eugénio de Andrade, Rosa Lobato Faria, Sidónio Muralha, versos destinados ao leitor infanto-juvenil. Os temas são extremamente variados, desde os animais, plantas, objectos, sentimentos. São cinquenta e nove poemas cheios de graça, de lirismo e de beleza, a divertirem e a educarem a sensibilidade dos mais novos. Vale a pena citar outro poema escolhido à toa, nestas páginas primorosamente ilustradas por Rui Castro: Intitula-se Romance


"Havia um peixe no ar, 
um papagaio no mar, 
uma lâmpada no olhar, 
um cogumelo a chorar.

- Mãe, em que história seria? 

A princesa na floresta 
bebia orvalho e cantava, 
de sua boca tombando 
o que de sonho tombava. 

- Mãe, em que história eu fugia? 

Doze anões e uma antiga 
branca de neve, quem sabe? 
Havia um gato de botas
onde o meu pé já não cabe. 

- Mãe, em que história aparecia? 

Ah, montanhas de cristal 
onde um cavalo espantava
e um espelho que tudo via 
mil respostas me não dava. 

- Mãe, em que história eu dormia?



Ilustrações de Tullia Masinari
Ilustração de Tullia Masinari


(...) Enquanto a leitura for para nós a iniciadora cujas chaves mágicas nos abrem no fundo de nós próprios a porta das habitações onde não teríamos conseguido penetrar, o papel dela na nossa vida será salutar. (...)

Marcel Proust 



Tullia Masinari - Saltar à corda


“Use a sua luz, mas diminua o seu brilho.” 



Tullia Masinari - Saltar ao eixo


“Grandes realizações são possíveis quando se dá atenção aos pequenos começos.” 

(Lao Zi)


Tullia Masinari - Jogo da cabra cega


“Saber e não fazer, ainda não é saber.” 

(Lao Zi)


Tullia Masinari - Jogo corrida de sacos


“A atividade vence o frio. A quietude vence o calor.” 

(Lao Zi)


Tullia Masinari - Jogar ao berlinde


“Amar não é apoderar-se do outro para completar-se, mas dar-se ao outro para completá-lo.” 

(Lao Zi) 


Tullia Masinari - Jogar a bola


"Aquilo que ouço, esqueço; 
aquilo que vejo, lembro, 
aquilo que faço, entendo."

(Lao Zi)


Tullia Masinari - Jogo da Bandeira


"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina!"

(Lao Zi)


Tullia Masinari


"Sempre tive pena de mim por não ter sapatos. 
Um dia, encontrei um homem que não tinha pés." 

(Lao Zi)


Tullia Masinari 


"Se estiveres no caminho certo, avança;
 se estiveres no errado, recua."

(Lao Zi)


Tullia Masinari 


"Se deres um peixe a um homem faminto, vais alimentá-lo por um dia. Se o ensinares a pescar, vais alimentá-lo toda a vida."

(Lao Zi)



Tullia Masinari 


"A bondade em palavras cria confiança; 
a bondade em pensamento cria profundidade;
 a bondade em dádiva cria amor."

 (Lao Zi)


Tullia Masinari 


"Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência.
 Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão."

(Lao Zi)


Tullia Masinari 


"O sábio não se exibe e vejam como é notado. 
Renuncia a si mesmo e jamais é esquecido."

 (Lao Zi)


Tullia Masinari -  Le dune di Dunhuang - deserto del Gobi Cina


"Lança o saber e não terás tristeza." 

(Lao Zi)


Tullia Masinari 


"O homem realmente culto não se envergonha de fazer perguntas também aos menos instruídos." 



Lao Zi (também conhecido como Lao-Tzu e Lao-Tze) foi um importante filósofo da China antiga, conhecido como o autor do "Tao Te Ching", a obra basilar da filosofia taoísta.


Tullia Masinari 


"As paixões ensinaram a razão aos homens." 

(William Shakespeare) 


Tullia Masinari 


"Quanto mais nos elevamos, menores parecemos aos olhos daqueles que não sabem voar." 

(Friedrich Nietzsche)


Tullia Masinari 


"As «histórias» dos meus livros são desde há muito dadas por manchas como uma pintura." 

(Vergílio Ferreira)



Dueto de Eugénia com Chico Buarque
Retirado do CD "DESCONSTRUÇÃO"


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...