terça-feira, 30 de abril de 2013

"Labirinto ou não foi nada" - Poema de David Mourão Ferreira


Odilon Redon, Portrait of Violette Heymann, 1910. Pastels, 72 x 92 cm



Labirinto ou não foi nada


Talvez houvesse uma flor
aberta na tua mão.
Podia ter sido amor,
e foi apenas traição.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua. . .
Ai de mim, que nem pressinto
a cor dos ombros da Lua!

Talvez houvesse a passagem
de uma estrela no teu rosto.
Era quase uma viagem:
foi apenas um desgosto.

É tão negro o labirinto
que vai dar à tua rua...
Só o fantasma do instinto
na cinza do céu flutua.

Tens agora a mão fechada;
no rosto, nenhum fulgor.
Não foi nada, não foi nada:
podia ter sido amor.


David Mourão Ferreira 



Galeria do pintor Odilon Redon


Odilon Redon, autorretrato, 1867


(Bertrand-Jean Redon, conhecido como Odilon Redon (Bordeaux, 20 de abril de 1840 — Paris, 6 de julho de 1916) foi um pintor e artista gráfico francês, considerado o mais importante dos pintores do Simbolismo, por ser o único que soube criar uma linguagem plástica particular e original.) 


 Odilon Redon - Moça


 Odilon Redon - Perfil e Flores


 Odilon Redon Senhora das Flores


 Odilon Redon - Beatrice, 1885


 Odilon Redon - Flores


 Odilon Redon Evocação,  coleção particular


 Odilon Redon - Nuvens Flor, 1903 


 Odilon Redon - Ophelia, 1900-1905 


 Odilon Redon - Ophelia among the flowers, 1905-1908


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...