sábado, 7 de dezembro de 2013

A Deliciosa Solidão dos Anos de Maturidade... de Albert Einstein


Émile Friant (1863–1932), Le printemps, 1888 


 
A Deliciosa Solidão dos Anos de Maturidade


O que é significativo na existência de cada um é algo de que dificilmente temos consciência e não deve seguramente incomodar os outros. O que sabe um peixe acerca da água na qual nada durante toda a vida?
A amargura e a doçura vêm do exterior, as dificuldades do interior, dos nossos próprios esforços. Na maior parte das vezes faço as coisas que a minha própria natureza me compele a fazer. É embaraçador ganhar tanto respeito e amor por isso. Também me foram atiradas setas de ódio, mas nunca me atingiram, porque de algum modo pertencem a outro mundo, com o qual não tenho qualquer tipo de ligação.
Vivo naquela solidão que é penosa na juventude, mas deliciosa nos anos de maturidade.


 
Albert Einstein, in 'Out Of My Later Years'






Galeria de Émile Friant
Émile Friant, Autoportrait,
Date inconnue

Émile Friant, La Lutte,1889


 Émile Friant, Artistic anatomy, sisters,1897


 Émile Friant, Sisters,1897


Émile Friant, Jeune nancéienne dans un paysage de neige, 1887


Émile Friant, The Frugal Repast, Date inconnue


Émile Friant, La Discussion politique,1889, coleção privada


Émile Friant, Les Canotiers de la Meurthe, 1888 


Émile Friant, La Toussaint, 1888
Collection musée des Beaux-Arts, Nancy


Émile Friant, La Douleur, 1898


Émile Friant, Tendresse Maternelle, 1906, coleção privada




Luciano Pavarotti - Avé Maria

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...