sábado, 5 de julho de 2014

"Há dentro de nós um poço" - de Vergílio Ferreira


Thomas Wilmer Dewing (1851–1938), Verão de 1890, Smithsonian American Art Museum



Há dentro de nós um poço 


"Há dentro de nós um poço. No fundo dele é que estamos, porque está o que é mais nós, o que nos individualiza, a fonte do que nos enriquece no em que somos humanos. E a vida exterior, o assalto do que nos rodeia, o que visa é esse íntimo de nós para o ocupar, o preencher, o esvaziar do que nos pertence e nos faz ser homens. Jamais como hoje esse assalto foi tão violento, jamais como hoje fomos invadidos do que não é nós. É lá nesse fundo que se gera a espiritualidade, a gravidade do sermos, o encantamento da arte. E a nossa luta é terrível, para nos defendermos no último recesso da nossa intimidade. Porque tudo nos expulsa de lá. Quando essa intimidade for preenchida pelo exterior, quando a materialidade se nos for depositando dentro, o homem definitivamente terá em nós morrido.
Já há exemplos disso. Um dos mais perfeitos chama-se robot. É invencível pensarmos o que será o homem amanhã. E nenhuma outra imagem se nos impõe com mais força. Mas o que desse visionar mais nos enriquece a alma é que o homem então será possivelmente feliz. Porque ser homem não é ter felicidade mas apenas ser humano. Não há grandeza nenhuma feliz e é decerto por isso que se diz que os felizes não têm história. A única felicidade compatível com a grandeza é a que já não tem esse nome, mesmo que o tenha. Chamemos-lhe apenas compreensão ou aceitação." 


Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente IV'






Thomas Wilmer Dewing

                                 Thomas Wilmer Dewing                                          Maria Oakey Dewing


Thomas Wilmer Dewing (May 4, 1851 – November 5, 1938) was an American painter working at the turn of the 20th century. Schooled in Paris, Dewing was noted for his figure paintings of aristocratic women. He was a founding member of the Ten American Painters and taught at the Art Students League of New York. The Art Museum at the Smithsonian Institution has a room dedicated to his works. He was the husband of fellow artist Maria Oakey Dewing.



Thomas Wilmer Dewing, Antoinette, circa 1876-1878



Thomas Wilmer DewingSummer,1890



Thomas Wilmer Dewing, The Carnation, 1893



Thomas Wilmer Dewing, Comedia, circa 1894-1895



Thomas Wilmer DewingBefore Sunrise, circa 1894-1895



Thomas Wilmer DewingThe Lute, 1904



Thomas Wilmer Dewing, Lady in Black and Rose, 1905



Thomas Wilmer DewingThe Palm Leaf Fan, 1906



Thomas Wilmer DewingBefore the Mirror, c. 1908-1910



Thomas Wilmer Dewing, Pandora, 1910


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...