sexta-feira, 1 de agosto de 2014

"Ode I" - Poema de Lupe Cotrim Garaude


Joaquín Sorolla y Bastida, Idyll Javea,1900



Ode I 


O poeta se dirige ao silêncio. 
E o diálogo, sua vida. 

— Eu vos amo a todos, 
ventos, rios, mares, 
eu vos amo, meus irmãos. 

Ao redor, 
nenhuma voz entrecorta 
sua solidão palpitante. 
Mas ele crê: 
de um pequeno murmúrio, 
tece ao menos um eco. 

Vida de poeta, 
no apelo de um brilho, 
no encontro de um reflexo. 


Lupe Cotrim Garaude, 
in 'Entre a Flor e o Tempo'




Lupe Cotrim Garaude


Lupe Cotrim Garaude, de nome completo Maria José Cotrim Garaude Gianotti, (16 de março de 1933 — 18 de fevereiro de 1970) foi uma poetisatradutora brasileira, professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.

Obras:
Raiz Comum (1955)
Monólogos do Afeto (1956)
Entre a Flor e o Tempo (1961)
O poeta e o Mundo (1964)
Inventos (1968)




Joaquín Sorolla, Portrait of Clothilde, 1891



"Para as mulheres há apenas uma data em que deveriam morrer: aquela em que deixam de ser amadas."




Joaquín Sorolla, Italian Girl with Flowers, 1886



"Aquela mulher resiste ao amor que sente, mas não resiste ao amor que inspira."



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...