sexta-feira, 24 de outubro de 2014

"Poema sobre o amor eterno"... de Valter Hugo Mãe


Pintura de Pier Toffoletti




poema sobre o amor eterno 



inventaram um amor eterno. trouxeram-no em braços 
para o meio das pessoas e ali ficou, à espera que lhe 
falassem. mas ninguém entendeu a necessidade de 
sedução. pouco a pouco, as pessoas voltaram a casa 
convictas de que seria falso alarme, e o amor eterno
 tombou no chão. não estava desesperado, nada 
do que é eterno tem pressa, estava só surpreso. um
 dia, do outro lado da vida, trouxeram um animal 
de duzentos metros e mil bocas e, por ocupar muito 
espaço, o amor eterno deslizou para fora da praça. 
ficou muito discreto, algo sujo. foi como um louco o 
viu e acreditou nas suas intenções. carregou-o para
 dentro do seu coração, fugindo no exato momento
 em que o animal de duzentos metros e mil bocas se
 preparava para o devorar


valter hugo mãe, in 'contabilidade'






Valter Hugo Mãe nasceu em Saurimo, Angola, no ano de 1971. 
Licenciou-se em Direito e é pós-graduado em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea. 
Publicou os romances: o nosso reino; o remorso de baltazar serapião, Prémio José Saramago em 2007; o apocalipse dos trabalhadores; a máquina de fazer espanhóis, Grande Prémio Portugal Telecom, categoria melhor livro do ano, e Prémio Portugal Telecom, categoria melhor romance do ano, em 2012; O Filho de Mil Homens e, recentemente, A Desumanização. A sua poesia encontra-se reunida no volume contabilidade
Escreveu diversos livros ilustrados para os mais novos, entre os quais: Quatro Tesouros; O Rosto e As mais belas coisas do mundo. 
Valter Hugo Mãe é vocalista do grupo musical Governo (www.myspace.com/ogoverno), projeto que editou o EP Propaganda Sentimental, com cinco canções, através do selo Optimus Discos. 
Escreve as crónicas Autobiografia imaginária, no Jornal de Letras, e Casa de papel, na revista de domingo do jornal Público. 
Outras informações sobre o autor podem ser encontradas no Facebook (Valter Hugo Mãe – Pag. Oficial) ou em www.valterhugomae.com. (Daqui)



Pintura de Pier Toffoletti



PIER TOFFOLETTI - Live painting and dancing with Valentina Versino - Why Company


Citação


"Tirai ao homem comum as ilusões da sua vida e roubais-lhe a felicidade."


(Henrik Ibsen)






Henrik  Johan Ibsen  (Skien, 20 de Março de 1828Cristiânia, 23 de Maio de 1906) foi um dramaturgo norueguês, considerado um dos criadores do teatro realista moderno. Foi o maior dramaturgo norueguês do Século XIX. Foi também poeta e diretor teatral, sendo considerado o “pai do drama em prosa” e um dos fundadores do modernismo no teatro. Entre seus maiores trabalhos destacam-se Brand, Peer Gynt, Um Inimigo do Povo, Imperador e Galileu, Casa de Bonecas, Hedda Gabler, Espectros, O Pato Selvagem e Rosmersholm

Muitas de suas peças foram consideradas escandalosas na época em que foram lançadas, mediante o facto de o teatro europeu estar sujeito ao modelo determinado pela vida familiar e pela propriedade. Os trabalhos de Ibsen analisavam a realidade contida por trás das convenções e costumes, o que trouxe muita inquietação para seus contemporâneos. Ele lançou um olhar crítico e a livre investigação sobre as condições de vida e as questões da moralidade da época. A poética peça Peer Gynt, no entanto, tem fortes elementos do Surrealismo.

Ibsen é muitas vezes classificado como um dos verdadeiramente grandes dramaturgos da tradição europeia. Richard Hornby o descreve como "um profundo e poético dramaturgo — o melhor desde Shakespeare". Ele influenciou outros dramaturgos e romancistas, tais como George Bernard Shaw, Oscar Wilde, James Joyce e Eugene O'Neill. Muitos críticos o consideram o maior dramaturgo desde Shakespeare.

Embora a maioria de suas peças sejam definidas na Noruega, muitas vezes em lugares que lembram Skien, a cidade portuária onde cresceu, Ibsen viveu por 27 anos na Itália e Alemanha e raramente visitou a Noruega durante seus anos mais produtivos. 
(Origem: Wikipédia)


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...