domingo, 14 de junho de 2015

"As Flores do Monte" - poema de A. Xavier Rodrigues Cordeiro


Michael Ancher (1849/1927), Anna Ancher returning from the field, 1902



As Flores do Monte 


Um ramo agreste do monte. 
Não te esqueci, não se creia, 
Enlevava-me o horizonte, 
Não me passavas da ideia. 

Na frente o muro da Infesta, 
Altas serras mais além, 
Ao pé o rumor da festa, 
E tu presente, meu bem! 

Ao poente as doidas vagas 
Em luta erguidas no mar, 
Aos meus pés as rudes fragas 
Tu sempre, sempre a lembrar!

Toda a rústica paisagem 
Me arrebatava um momento; 
Lembrava-me a tua imagem, 
Volvias ao pensamento! 

Na ermida rezava o monge, 
A festa crescia perto, 
Eu era só, e tu longe 
Povoavas o meu deserto. 

E que o amor como a saudade 
Sempre na ausência se apura; 
De ti longe quem não há-de 
Amar-te com mais ternura?


(1819-1896)



Appraising the Day's Work, 1883, Anna and Michael Ancher looking at their work


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...