terça-feira, 9 de junho de 2015

"Chamamento" - poema de Luísa Dacosta





Chamamento


Da margem do sonho 
e do outro lado do mar
alguém me estremece
sem me alcançar.

Um bafo de desejo
chega, vago, até mim.
Perfume delido
de impossivel jasmim.

É ele que me sonha?
Sou eu a sonhar?
Sabê-lo seria 
desfazer, no vento,
tranças de luar.

Nuvens,
barcos,
espumas
desmancham-se na noite.

E a vida lateja, longe,
num outro lugar.






Laurits Tuxen, Mulher deitada nas dunas, 1904



"Ó Poesia sonhei que fosses tudo 
E eis-me na orla vã abandonada 
Uma por uma as ondas sem defeito 
Quebram o seu colo azul de espuma 
E é como se um poema fosse nada." 


(Sophia de Mello Breyner Andresen)


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...