quarta-feira, 22 de julho de 2015

"Falta Pouco" - Poema de Carlos Drummond de Andrade


Tjalf Sparnaay,  Sandwich Ham-Egg, oil on canvas, 2014, 95x150cm



Falta Pouco


Falta pouco para acabar 
o uso desta mesa pela manhã 
o hábito de chegar à janela da esquerda 
aberta sobre enxugadores de roupa. 
Falta pouco para acabar 
a própria obrigação de roupa 
a obrigação de fazer barba 
a consulta a dicionários 
a conversa com amigos pelo telefone. 

Falta pouco 
para acabar o recebimento de cartas 
as sempre adiadas respostas 
o pagamento de impostos ao país, à cidade 
as novidades sangrentas do mundo 
a música dos intervalos. 

Falta pouco para o mundo acabar 
sem explosão 
sem outro ruído 
além do que escapa da garganta com falta de ar. 

Agora que ele estava principiando 
a confessar 
na bruma seu semblante e melodia. 



 in 'A Falta que Ama' 


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...