quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

"Romance" - Poema de José Santiago Naud




Romance

Fruto de solidão 
preso à fronde do vento, 
lua, tu nos dás 
a medida do eterno, 
essa altura que jogas 
contra o espaço celeste 
em nós refere a terra, 
que em nossa ânsia integras. 
E ao nosso amor integras 
tudo o que não sofremos, 
tudo o que não tivemos 
e apenas pressentimos, 
em tua marcha sentimos 
tudo o que não teremos 
e tudo o que já viveram 
corações noutros tempos. 
Flanco de solidão, 
maçã casta e sensual 
presa ao ramo oscilante 
entre a alma e o carnal, 
em ti, suprema altura, 
os olhos vão reunindo 
as trilhas do abandono 
e alguns ecos da infância. 

Pata branca de touro 
extraviada no azul. 


in 'Antologia Poética' 

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...