sábado, 2 de janeiro de 2016

"O Mar" - Poema de Ângelo de Lima


Anton MelbyeSea at night, 1865


 O Mar


Semelhante a algum monstro, quando dorme
O mar... Era sombrio, vasto, enorme...
Arfando demorado,
Imenso sob os Céus!

Tal imenso e sombrio o mar seria
E assim, em vagas tristes arfaria
No tempo em que o espírito de Deus
Sobre ele era levado!


Ângelo de Lima
Do livro: "Líricas Portuguesas", seleção, prefácio e notas de Cabral do Nascimento, Portugália Editora, 1945, Portugal


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...