sábado, 16 de abril de 2016

"Do Mar" - Poema de Fiama Hasse Pais Brandão


João Vaz, Rochedos, Peniche (Daqui)




DO MAR


Aqueles de um país costeiro, há séculos,
contêm no tórax a grandeza
sonora das marés vivas.
Em simples forma de barco,
as palmas das mãos. Os cabelos são banais
como algas finas. O mar
está em suas vidas de tal modo
que os embebe dos vapores do sal.

Não é fácil amá-los
de um amor igual à
benignidade do mar.»





José de Campos Contente, Dunas na Costa da Caparica, 1935 (Daqui)




""O mar é o habilidoso desenhador de ausências. 




Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...