terça-feira, 12 de abril de 2016

"Fantasia" - Poema de Alfredo Brochado


Gustave Léonard de Jonghe (1829–1893), Vanity 



Fantasia


Há uma mulher em toda a minha vida, 
Que não se chega bem a precisar. 
Uma mulher que eu trago em mim perdida, 
Sem a poder beijar. 

Há uma mulher na minha vida inquieta. 
Uma mulher? Há duas, muitas mais, 
Que não são vagos sonhos de poeta, 
Nem formas irreais. 

Mulheres que existem, corpos, realidade, 
Têm passado por mim, humanamente, 
Deixando, quando partem, a saudade 
Que deixa toda a gente. 

Mas coisa singular, essa que eu não beijei, 
É quem me ilude, é quem me prende e quer. 
Com ela sonho e sofro... Só não sei 
Quem é essa mulher. 



Alfredo Brochado 
(1897/1949) 
in "Bosque Sagrado"






"Amor, amar - eis uma ciência que todos aprendem sem mestre." 




Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...