quarta-feira, 22 de junho de 2016

Poema de Renata Pallottini


Carl Holsøe, Waiting by the Window



Poema



E então, pergunto, por que esta vida 
de pão e horas moídas?

Por que não somente um pássaro 
na insciência da tarde clara,

uma árvore verde embutida 
no musgo da manhã... Por que esta vida?

Por que não uma pedra severa 
que não procura, não erra, não espera,

ou então outra vida, outra vida 
que não esta, de sal e lâminas finas,

que não esta, de sal sobre as feridas?



(De Os Arcos da Memória, 1971)




Carl Holsøe, The Reader



Um Fruto


A juventude
houve
como um fruto.

Hoje habito uma casa
polpa madura de mulher
meu corpo.

Amanhã haverá uma flor.
Não sei onde. 



(De Ao Inventor das Aves, 1985) 


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...