sexta-feira, 9 de setembro de 2016

"As mãos dadas" - Poema de Jorge de Sena


Emile Claus, A Meeting on the Bridge



As mãos dadas


Um dia me falaste,
e as árvores morriam galho a galho seco.
Havia flores, recordo.
Havia ruas, aí também recordo.
E escadas
vazias.

Não me falaste, não.
Fui eu quem perguntou,
beijando-te tremente, quantos anos tinhas,
e o teu nome.

Não tinhas nome; ou tinhas, mas não teu.
E a tua idade, as tuas mãos nas minhas.






Emile ClausOctober Morning on the River Leie



"O amor é a sabedoria dos loucos e a loucura dos sábios." 




Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...