domingo, 11 de setembro de 2016

"Do Fim dos Segredos" - Poema de Júlio Pomar


Paweł Kuczynski (2014), Confession



Do Fim dos Segredos


Quando se conta a outrem um segredo este 
desmaia: a palavra 
torna-se pele 
sem leão lá dentro. 

Não é mais segredo e não o sendo 
finge ser lembrança 
de fabrico imperfeito: 
um cliqueti no silêncio escancara 

a dantes inamovível porta 
e virada a página acha-se apenas 
uma moeda 
que não corre já. 


in "TRATAdoDITOeFEITO"




«Não me importa nada que me critiquem. Exatamente como não me importa nada quando me elogiam. Tanto me faz que uma pessoa me elogie como me censure - eu considero aquilo como uma opinião pessoal e não comparo com coisa nenhuma porque eu próprio não tenho opinião pessoal a meu respeito. Não me sinto nem herói, nem criminoso, sinto que vivo, sinto que sou.» 



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...