segunda-feira, 14 de novembro de 2016

"Acendem-se as Luzes" - Poema de João José Cochofel


Marcel RiederSongeuse devant la cheminée 



Acendem-se as Luzes


Acendem-se as luzes 
nas ruas da cidade. 

Ainda há claridade 
ao alto das cruzes 
da igreja da praça 
e para lá dos telhados 
já meio esfumados 
na mesma cor baça 
do casario velho 
que recobre a encosta 
e mal entremostra 
as cores de Botelho, 
sobranceiro à massa 
fluida e movente 
das cordas de gente 
por onde perpassa 
um ar de alegria 
que é do tempo quente 
e deste andar contente 
que no fim do dia 
leva para casa, 
a paz das varandas, 
o álcool das locandas, 
tanta vida rasa 
minha semelhante. 
Solidão povoada 
que a tarde cansada 
suspende um instante 
ao acender das luzes. 

Em cada olhar uma rosa 
de propósito formosa 
para que a uses. 




Marcel Rieder (1862-1942), Two women on veranda overlooking the sea


"Através do teu coração passou um barco 
que não pára de seguir sem ti o seu caminho" 


(Sophia de Mello Breyner Andresen)

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...