sábado, 19 de novembro de 2016

"Solidão" - Poema de Helena Kolody


Théodore Ralli (1852-1909), Eavesdropping, 1880 



Solidão


Estamos sempre sozinhos
Em nossas horas maiores.

A dor, veneno latente,
Corrói-nos a alma em segredo.

A mais gloriosa alegria
Floresce na solidão.


in A Sombra no Rio, 1951



Théodore Ralli, A Greek Beauty (Greece, c.1890)


"Em arte, a copiosa, exuberante, luxuosa e florida fantasia cansa, esquece e passa - e só há eternidade para a beleza pura e simples."



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...