terça-feira, 29 de novembro de 2016

"Teus Olhos" - Poema de Octavio Paz


Charles Spencelayh (1865–1958),  A Japanese Beauty



Teus Olhos


Teus olhos são a pátria do relâmpago e da lágrima, 
silêncio que fala, 
tempestades sem vento, mar sem ondas, 
pássaros presos, douradas feras adormecidas, 
topázios ímpios como a verdade, 
outono numa clareira de bosque onde a luz canta no ombro 
duma árvore e são pássaros todas as folhas, 
praia que a manhã encontra constelada de olhos, 
cesta de frutos de fogo, 
mentira que alimenta, 
espelhos deste mundo, portas do além, 
pulsação tranquila do mar ao meio-dia, 
universo que estremece, 
paisagem solitária. 


Octavio Paz, in "Liberdade sob Palavra
Tradução de Luis Pignatelli   



Charles Spencelayh, Girl and Wolfhound


"Não importa que sejam poucas as suas posses e o seu dinheiro. 
Ter um cão torna-o rico." 

(Louis Sabin)


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...