segunda-feira, 17 de julho de 2017

"Os Amigos" - Poema de Al Berto


Charles Frederic UlrichThe Glass Blowers, 1883




Os Amigos 


No regresso encontrei aqueles 
que haviam estendido o sedento corpo 
sobre infindáveis areias 

tinham os gestos lentos das feras amansadas 
e o mar iluminava-lhes as máscaras 
esculpidas pelo dedo errante da noite 

prendiam sóis nos cabelos entrançados 
lentamente 
moldavam o rosto lívido como um osso 
mas estavam vivos quando lhes toquei 
depois 
a solidão transformou-os de novo em dor 
e nenhum quis pernoitar na respiração 
do lume 

ofereci-lhes mel e ensinei-os a escutar 
a flor que murcha no estremecer da luz 
levei-os comigo 
até onde o perfume insensato de um poema 
os transmudou em remota e resignada ausência. 


in 'Sete Poemas do Regresso de Lázaro'



Charles Frederic Ulrich, The Glass Engraver, 1883


"A alma é um cenário. Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca, inundada de alegria. Por vezes ela é como um pôr do sol... triste e nostálgico."



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...