segunda-feira, 25 de setembro de 2017

"Passa uma borboleta por diante de mim" - Poema de Alberto Caeiro


Berthe Morisot (1841–1895), La Chasse aux Papillons, 1874Museu de Orsay



Passa uma borboleta por diante de mim 


Passa uma borboleta por diante de mim 
E pela primeira vez no Universo eu reparo 
Que as borboletas não têm cor nem movimento, 
Assim como as flores não têm perfume nem cor. 
A cor é que tem cor nas asas da borboleta, 
No movimento da borboleta o movimento é que se move, 
O perfume é que tem perfume no perfume da flor. 
A borboleta é apenas borboleta 
E a flor é apenas flor. 


Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XL" 
Heterónimo de Fernando Pessoa





"É erro vulgar confundir o desejar com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os." 



Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...