quarta-feira, 14 de março de 2018

"O Vento" - Poema de A. M. Pires Cabral


José Júlio Andrade dos Santos (1916 - 1963), Paisagem,  1958



O Vento


É fácil dizer que o vento
tem gatos na voz
enfurecidos. 

Que afaga e despenteia,
traz a chuva. 

Que levanta as telhas,
exercita na noite 
os nossos mais pesados 
pesadelos.

É fácil ser poeta
à custa do vento. 

Fingir que não sabemos
que o vento não é senão
o vazio que muda de lugar. 


in Arado, ed. Cotovia 


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...