sábado, 9 de dezembro de 2017

"Nasceu-te um Filho" - Poema de Jorge de Sena


Dieric Bouts, The Virgin and Child, c. 1463



Nasceu-te um Filho


Nasceu-te um filho. Não conhecerás, 
jamais, a extrema solidão da vida. 
Se a não chegaste a conhecer, se a vida 
ta não mostrou - já não conhecerás 

a dor terrível de a saber escondida 
até no puro amor. E esquecerás, 
se alguma vez adivinhaste a paz 
traiçoeira de estar só, a pressentida, 

leve e distante imagem que ilumina 
uma paisagem mais distante ainda. 
Já nenhum astro te será fatal. 

E quando a Sorte julgue que domina, 
ou mesmo a Morte, se a alegria finda 
- ri-te de ambas, que um filho é imortal. 


Jorge de Sena, in 'Visão Perpétua'



Dieric Bouts, The Virgin and Child, c. 1465


"Entre o infinito do céu e o infinito da terra, existe o teu infinito, igualmente desmedido e ilimitado. Mãe, o tempo não é capaz de conter-te." 

Em Teu Ventre


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...