terça-feira, 28 de junho de 2016

"Inscrição" - Poema de Cecília Meireles


Sophie Gengembre Anderson (1823-1903), Natural Princess, 1881




Inscrição


Sou entre flor e nuvem,
estrela e mar. 
Por que havemos de ser unicamente humanos, 
limitados em chorar?

Não encontro caminhos
 fáceis de andar.
 Meu rosto vário desorienta as firmes pedras
que não sabem de água e de ar

E por isso levito.
É bom deixar
um pouco de ternura e encanto indiferente
de herança, em cada lugar.

Rastro de flor e estrela,
Nuvem e mar.
Meu destino é mais longe e meu passo mais rápido:
A sombra é que vai devagar.



In Mar Absoluto e Outros Poemas (1945)



Sophie Gengembre Anderson (1823-1903), The turtle dove



"A bondade é o humano que toca o divino."




Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...