domingo, 21 de outubro de 2012

"Figueira" - Poema de Ana Hatherly


Figueira


Figueira 


Ó árvore que irrompes da tua secura 
suportando o penoso desdobrar de teus ramos 
amaldiçoada 
ofereces ainda a doçura de teus frutos 
a sombra de tuas folhas 
a firmeza do teu apego à terra 

Ó dura bruta forma 
heroína da escassez 
ó teimosa 
que insistes e insistes 
e nos ensinas 
que a vida é feita de incessantes mortes 
e que a nós 
suas futuras vítimas 
nos aguarda 
a todo o momento 
a derrocada do templo 
sem nenhum outro fruto 
além da amargura 

Ó doçura 
porque amargas tanto 
a nossa tentação de florir 
ao mesmo tempo sendo tudo 
e nada ? 


Ana Hatherly



Fruto - Figo


Fruto - Figo


Fruto - Figo



"Fazer poesia é confessar-se."

(Friedrich Klopstcock)



Friedrich Gottlieb Klopstock


Friedrich Gottlieb Klopstock foi um poeta alemão (Quedlinburg, 2 de Julho de 1724 - Hamburgo, 14 de Março de 1803). 
Antigo aluno da escola de Schulpforta, estudou teologia nas universidades de Jena e Leipzig. Discípulo de Johann Jakob Bodmer e da escola suíça, descobriu com entusiasmo a obra de John Milton. Decidiu escrever uma epopeia religiosa intitulada Der Messias, acerca da vida de Cristo, à qual se dedicou durante vinte anos (1748/68). Com esta obra em vinte cantos, Klopstock tornou-se o poeta mais admirado da jovem geração. Antes de publicá-la, já se consagrara com suas primeiras odes An Meine Freund, de 1747. 
Dedicou-se também ao teatro. Escreveu inicialmente tragédias: A morte de Adão, de 1757 e Salomão, de 1763. No entanto, destacou-se com o teatro patriótico, representado pela trilogia centralizada na personagem Hermann, herói da resistência da velha Germânia aos romanos. É considerado como um precursor do Romantismo, antecipando-se na escolha de temas patrióticos para as suas odes. 
Embora tivesse passado grande parte da sua vida na Dinamarca, onde recebia um pensão do rei Frederico V, foi um dos precursores do movimento nacional na Alemanha. Saudou com entusiasmo as revoluções americana e francesa. Porém, quando a República Francesa quis torná-lo cidadão honorário, Klopstock recusou em sinal de protesto contra os excessos da revolução na França. Contribuiu ainda nos campos da filologia e da história da literatura.




“Cultura opõe-se a natura ou natureza, isto é, abrange todos aqueles objetos ou operações que a natureza não produz e que lhe são acrescentados pelo espírito (...). A religião, a arte, o desporto, o luxo, a ciência e a tecnologia são produtos da cultura.”

António José Saraiva, em "Cultura", colecção “O QUE É”, Difusão Cultural, 1993.

(António José Saraiva (Leiria, 31 de Dezembro de 1917 — Lisboa, 17 de Março de 1993) foi um professor e historiador de Literatura portuguesa.)



A vida é feita de pequenos nadas - Sérgio Godinho

VIDA É FEITA DE PEQUENOS NADAS


(Segunda-feira
trabalhei de olhos fechados
na terça-feira
acordei impaciente
na quarta-feira
vi os meus braços revoltados
na quinta-feira
lutei com a minha gente
na sexta-feira
soube que ia continuar
no sábado
fui à feira do lugar
mais uma corrida, mais uma viagem
fim-de-semana é para ganhar coragem)

muito boa noite, senhoras e senhores
muito boa noite, meninos e meninas
muito boa noite, Manueis e Joaquinas
enfim, boa noite, gente de todas as cores
e feitios e medidas
e perdoem-me as pessoas
que ficaram esquecidas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas
a vida é feita de pequenos nadas

Somos tantos a não ter quase nada
porque há uns poucos que têm quase tudo
mas nada vale protestar
o melhor ainda é ser mudo
isto diz de um gabinete
quem acha que o cassetete
é a melhor das soluções
para resolver situações
delicadas
a vida é feita de pequenos nadas

E o que é certo
é que os que têm quase tudo
devem tudo aos que têm muito pouco
mas fechem bem esses ouvidos
que o melhor ainda é ser mouco
isto diz paternalmente
quem acha que é ponto assente
que isto nunca vai mudar
e que o melhor é começar a apanhar
umas chapadas
a vida é feita de pequenos nadas

(Segunda-feira...)

Ouvi dizer que quase tudo vale pouco
quem o diz não vale mesmo nada
porque não julguem que a gente
vai ficar aqui especada
à espera que a solução
seja servida em boião
com um rótulo: Veneno!
é para tornar desde pequeno
às colheradas
a vida é feita de pequenos nadas
boa noite, amigos, companheiros, camaradas
a vida é feita de pequenos nadas.

Sérgio Godinho





"(...) a história é infinita. Podemos interceptá-la em qualquer ponto. Era uma vez uma cidade onde os habitantes sabiam tanto do sofrimento humano que quando acordavam deitavam-se logo."

Ana Hatherly, in "351 Tisanas"

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...