sexta-feira, 7 de março de 2014

"O Palhaço" - Poema de Alexander Search (Heterónimo de Fernando Pessoa)


Rafael Zabaleta (1907-1960, Spain), Arlequim e palhaço com máscara, óleo sobre tela 



O Palhaço


Na mente louca, salta sem parar 
Uma ideia cruel, estranha e sinistra 
Com um sentido além do que se teme — 
Um palhaço em seu grotesco saltar; 
E choro ao vê-lo, como uma criança 
Com lágrimas de adulto, em dor estreme. 

Não há telhado, como não há chão; 
Horror! E tudo fora do espaço! 
Implacavelmente, vejo-o a pular! — 
Há o palhaço e o mais é um vão, 
Ele, incansável, para cima e para baixo — 
O palhaço em seu grotesco saltar. 

Implacável, severa de mais para mim 
Que procuro o que tudo quer dizer, 
Esta visão sem espaço e a pular! 
As pernas me esquecem, num pular assim. 
Que terrível sentido pode ter — 
O palhaço em seu grotesco saltar? 


Heterónimo de Fernando Pessoa
In Poesia, 1906, Assírio & Alvim,




Rafael Zabaleta Fuentes


Rafael Zabaleta Fuentes (Quesada, Jaén, 6 de novembro de 1907— Quesada, 24 de junho de 1960) foi um pintor espanhol.
Nasceu numa família abastada. Em 1925 viajou a Madrid para cursar estudos na Escola Superior de Belas-Artes de São Fernando. Dois anos depois é nomeado Delegado do Tesouro Artístico Nacional.
Ao terminar a Guerra Civil Espanhola foi denunciado e passou brevemente pelo campo de concentração de Higuera de Calatrava e pelo cárcere de Jaén. Neste período confiscaram-lhe uma séries de desenhos sobre a Guerra Civil que começara 3 anos antes.
Nas suas viagens a Paris conheceu a Picasso e a pintores espanhóis relevantes da época. Em 1951 a sua cidade natal concede-lhe o título de Filho Predileto. Em 1960 apresentou no pavilhão espanhol da XXX Bienal de Veneza uma série de 16 óleos e 10 desenhos, que seria a sua exposição mais importante.
O seu estilo varia do expressionismo sombrio na sua primeira época, até o expressionismo rutilante levado até um pós-cubismo com influências picassianas, a partir de 1950 e que lhe confere a sua identidade.
A coleção mais importante das suas obras encontra-se no Museu Zabaleta, da sua cidade natal. Atualmente alguns dos seus quadros são expostos em prestigiosos museus do mundo (Buenos Aires, New Iorque, Tókio,...).



Rafael Zabaleta, Self-Portrait 



Rafael Zabaleta, Portrait of girl sitting, 1943


Rafael Zabaleta, Tiscar Rosemary


Rafael Zabaleta, Gleaners



Rafael Zabaleta, La pareja del carro, 1959


Rafael Zabaleta, La vieja y la niña, 1953 



Rafael Zabaleta, La escuela, 1955

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...