sexta-feira, 18 de julho de 2014

"Na Aldeia"... Poema de Gonçalves Crespo


Giuseppe De Nittis, Breakfast in the Garden, 1883 óleo sobre tela, Barletta De Nittis Art Gallery,



Na Aldeia

A Cristóvão Aires


Duas horas da tarde. Um sol ardente
Nos colmos dardejando, e nos eirados.
Sobreleva aos sussurros abafados
O grito das bigornas estridente.

A taberna é vazia; mansamente
Treme o loureiro nos umbrais pintados;
Zumbem à porta insectos variegados,
Envolvidos do sol na luz tremente.

Fia à soleira uma velhinha: o filho
No céu mal acordou da aurora o brilho
Saiu para os cansaços da lavoura.

A nora lava na ribeira, e os netos
Ao longe correm seminus, inquietos,
No mar ondeante da seara loura.


Gonçalves Crespo, in 'Nocturnos'

 

 
Gonçalves Crespo
(1846-1883)


Poeta, tradutor e deputado, considerado o iniciador do Parnasianismo português, António Cândido Gonçalves Crespo nasceu no Rio de Janeiro, filho de mãe mestiça, vindo para Portugal aos catorze anos, por razões de saúde.
Depois de estudar no Porto, cidade onde o seu pai exercia a magistratura judicial, ingressa na Universidade de Coimbra, formando-se em Direito em 1875.
Colabora na revista A Folha (1868-1873), de João Penha, órgão do Parnasianismo português, mas também em muitos outros jornais e revistas como a República das Letras (1875), A Renascença (1878-1881), Artes e Letras (1872-1875), Ocidente (1878-1891) e O Cenáculo (1875).
Em Lisboa, frequenta o salão literário da poetisa Maria Amália Vaz de Carvalho (1847-1921), com quem virá a casar.
Os seus dois volumes de poesias, Miniaturas e Noturnos, publicados em 1871 e 1882, revelam influências variadas, que vão de Gautier a Leconte de Lisle, de Verlaine a Mallarmé, passando por Baudelaire. 

Gonçalves Crespo. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [Consult. 2014-07-17].



 


Parnasianismo


Corrente literária surgida em França, com a publicação em 1866 da revista Parnasse Contemporain, que se propunha valorizar a componente estética da poesia (o chamado ideal de arte pela arte) e reagir contra o sentimentalismo da poesia romântica, e cujos principais representantes foram Théophile Gautier, Leconte de Lisle e Théodore Banville.

Em Portugal, podemos relacionar com o Parnasianismo um grupo de poetas aglutinados em torno da revista A Folha, publicada entre 1868 e 1873, dos quais se destacaram João Penha (1838-1919), diretor desse órgão, António Feijó (1859-1917) e Gonçalves Crespo (1846-1883), havendo, contudo, laivos de Parnasianismo em muitos outros poetas como Gomes Leal (1848-1921) e Cesário Verde (1855-1886). 
Os parnasianos propunham uma poesia descritiva, pictural, plástica, com uma versificação perfeita e musical.

Parnasianismo. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2014. [Consult. 2014-07-18



Galeria de Giuseppe de Nittis
Giuseppe De Nittis, Self-Portrait, 1884


Giuseppe de Nittis, Siesta


Giuseppe de Nittis, Rue de Paris with Carriages 


Giuseppe de Nittis, Woman on the Beach


Giuseppe de Nittis, Poplars


Giuseppe de Nittis, Siesta


Giuseppe de Nittis, Westminster, 1878


Citação



“Quando o acusador é também o juiz triunfa a força, não o direito”.


Públio Siro
 (85a.C. - 43a.C.),
 escritor latino da Roma antiga

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...