segunda-feira, 7 de novembro de 2016

"O Meu Preço" - Poema de José Craveirinha


Gerard Sekoto (South Africa, 1913-1993), Yellow Houses, District Six, 1942



O Meu Preço


Eu cidadão anónimo
do País que mais amo sem dizer o nome
se é para me dar de corpo e alma
dou-me todo como daquela vez em Chaimite.
Dou-me em troca de mil crianças felizes
nenhum velho a pedir esmola
uma escola em cada bairro
salário justo nas oficinas
filas de camiões carregados de hortaliças
um exército de operários todos com serviço
um tesouro de belas raparigas maravilhando as praias
e ao vento da minha terra uma grande bandeira sem quinas.
Se é para me dar
dou-me de graça por conta disso.
Mas se é para me vender
vendo-me mas vendo-me muito caro.
Ao preço incondicional
de quanto me pode custar este poema.




Gerard Sekoto, Outside the Shop (Social Realism)


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...