segunda-feira, 17 de junho de 2013

"Ondas de Solidão" - de Eça de Queirós


Albert Bierstadt, The Shore of the Turquoise Sea, 1878



Ondas de Solidão


«Se possuísse uma canoa e um papagaio, podia considerar-me realmente como um Robinson Crusoé, desamparado na sua ilha. Há, é verdade, em roda de mim uns quatro ou cinco milhões de seres humanos. Mas, que é isso? As pessoas que nos não interessam e que se não interessam por nós, são apenas uma outra forma da paisagem, um mero arvoredo um pouco mais agitado. São, verdadeiramente como as ondas do mar, que crescem e morrem, sem que se tornem diferenciáveis uma das outras, sem que nenhuma atraia mais particularmente a nossa simpatia enquanto rola, sem que nenhuma, ao desaparecer, nos deixe uma mais especial recordação. Ora estas ondas, com o seu tumulto, não faltavam decerto em torno do rochedo de Robinson - e ele continua a ser, nos colégios e conventos, o modelo lamentável e clássico da solidão.» 

Eça de Queirós, in 'Correspondência'




Albert Bierstadt (January 7, 1830 – February 18, 1902) was a German - American painter best known for his lavish, sweeping landscapes of the American West.


Albert Bierstadt, Beach at Nassau


Albert Bierstadt, Storm in the Mountains, c.1870


Albert Bierstadt, Yosemite Valley, Yosemite Park, c.1868


Albert Bierstadt, Mount Corcoran, 1876-77


Albert Bierstadt, Staubbach Falls, Near Lauterbrunnen, Switzerland, 1865


Albert Bierstadt, Yosemite Valley, Yosemite Park, c.1868


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...