sexta-feira, 10 de agosto de 2018

"Quero ir onde a promessa quebrou" - Poema de Tiago Nené




Quero ir onde a promessa quebrou


Quero ir onde a promessa quebrou, 
ao momento em que as mãos se apagaram. 
Foi breve o acordar na lembrança de outro corpo, 
o regresso do subúrbio da vida 
desviou o coração para a janela etérea 
onde inventarás uma nova derrota, uma bela e simples derrota, 
onde não existirá um sacrifício, uma fuga de vidro. 
E eu falo contigo agora, 
agora que o filme te cobre os olhos, agora 
que o âmago afunda no instinto das pequenas coisas, agora 
que desenho os materiais que resistem 
à tua habituação cintilante e eterna. 
Um dia li a tua mão, escapando-se-me o corpo, 
cresci nessa imagem de astros, suspendi 
os meus recursos de espectador, 
falhei nas fendas da cabeça. E hoje 
volto ao primeiro momento onde a promessa quebrou, 
ao fulgor do primeiro exercício inaugural 
da diferença entre o frio e o quente, 
onde o vento corta as ruas 
e os pássaros cantam o teu nome. 
in 'Este Obscuro Objecto do Desejo'


Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...